terça-feira, 13 de abril de 2010

Sobre visões do espaço



Sempre quis ser astronauta. Sempre quis ver a Terra de longe, lá de cima, ver ao vivo o que eu vivia procurando em fotos. Nunca teve um propósito diferente, eu queria ver a Terra por inteiro.

---

É a primeira vez que viajo em um foguete, que saio literalmente da atmosfera e venho ao espaço. Deixei para trás família e amigos, meu cachorro Rack e o caos da Terra. É a primeira vez que eu fico longe do caos de tudo. É solitário aqui no espaço. É tranqüilo aqui no espaço. Eu sinto a paz - eu quase posso vê-la!
A Terra, nem preciso macular, é linda. De todos os planetas, tu podes notar de longe que ela é o planeta mais vivo. Ela exala vida - toda a nossa vida e a sua própria. Então porque a matamos? Eu - aqui de cima - já não faço mais parte desse assassinato contra o Planeta Terra. Estou apenas estático no espaço, observando com os olhos cheios de lágrimas, a beleza estonteante que me cega, da casca da Terra. Sempre achei que preferiria vê-la assim, a casca, todos os podres escondidos, apenas a paz à mostra - e acertei.
Às vezes penso em não voltar - tenho como ver as nossas cidades e atrocidades daqui de cima, tenho equipamentos, mas não quero olhar e ferir a beleza da Terra como a vejo agora. Penso em não voltar e ficar aqui, esperar o fim olhando o infinito do Universo - o Universo do infinito. A Terra é linda neste momento também, olho para ela e quero chorar suas perdas. Às vezes quero não voltar mas é tão solitário aqui no espaço.

---

Hoje a olhei e percebi um erro gravíssimo dos meus típicos erros infames ao ser humano - ínfimo em sua ignorância. Eu vim ao espaço para ver a Terra, queria vê-la como ela é, mas percebi que essa visão eu só tinha quando estava em seu chão. Via a Terra como ela realmente era quando olhava os olhos das crianças nas ruas, quando ouvia os ganidos dos animais com fome e quando via homens matando homens por nada. Via a Terra como ela era quando estava lá embaixo - quando não na minha condição de astronauta e via cenas humanas, com dor, sofrimento, amor e ódio. Quando o ser humano mostrava sua mais pura bondade ou podridão.
Essa Terra que vejo aqui do espaço - estupidamente linda - não é como ela é de verdade - é apenas utopia.
Assim resolvo - quero voltar pra Terra!


Mais um texto de minha autoria, super simples e sem termos técnicos né - afinal não sou astronauta ;x

7 comentários:

  1. Eu adorei, sério mesmo.
    E nós temos um bocado em comum, pela sua descrição - exceto pelos efeitos especiais, haha.
    Estou te seguindo também :)

    ResponderExcluir
  2. Achei que voce tivesse desistido da blogosfera. =D

    Beijoos

    ResponderExcluir
  3. A terra é onde vivemos, nos sujamos, passamos o tempo. Porque querer conhecer mais, quando ainda nem este cantinho conhecemos a serio?

    ResponderExcluir
  4. Um dia... Uma noite... Um grão de areia no Universo...também o tempo me fez nascer ali...na terra de tantos sonhos e de uma imensidão de prazeres... onde encontrei a felicidade. A terra... de tantas lembranças... de tantos seres vivos...de tanta água...de tantas moradas...deixarei saudades... enfim o infinito nos espera...bjs.

    ResponderExcluir
  5. ...Sempre há um ponto após outro, e após outro...
    Ah, o Universo!...
    O homem é tão pequeno!
    E até no pensamento...
    Que vôa pra tão longe!
    E mesmo assim,
    Nunca será suficiente...

    ResponderExcluir
  6. E então, o infinito nos espera?...
    Sim!
    E esperamos uma resposta;
    Uma resposta que não cabe em nós.
    Mas nós a queremos...
    E se fosso a morte, a resposta?!
    Mas é ao contrário;
    É na vida "o segredo" em que,às vezes,
    Nos parece sem lógica!

    ResponderExcluir